Fazendo debug de cookies e verificação de tags do Google Analytics

5 Jul

Em abril deste ano, prestei o exame de qualificação do Google Analytics, o GAIQ (Google Analytics Individual Qualification). Enquanto estudava os vídeos que o Google disponibiliza para o exame, ficava irritada com a ênfase exagerada aos cookies. “Para que falar tanto disso?!”, eu me perguntava, achando que era algo que eu teria que decorar para a prova e não usaria mais.

Dois meses depois, estava eu no metrô com o @diogenespassos  – um dos maiores especialistas de Google Analytics no Brasil – e ele me deu a dica de usar o Firebug com Firecookie e HttpFox para verificar se as tags dos sites estão funcionando corretamente. Instalei os plugins no meu Firefox e brinquei um pouco com eles, mas foi no curso ministrado pelo próprio Diógenes – o Analytics Brasil – que entendi melhor por que eu tive que estudar tanto sobre os cookies para prestar a prova GAIQ.

Então vamos ao que interessa. E acredite, interessam muito: os cookies.

Eu não vou ficar aqui explicando que “cookies são pacotes de texto enviados entre um navegador da web e o servidor que ele acessa”. Nem que “o GA utiliza cookies para diferenciar um usuário de outro e transmitir informações de página à página durante uma única sessão de website de usuário”. Também não preciso dizer que “o Google Analytics usa cookies para fornecer relatórios significativos sobre os visitantes de seu site, mas que não coleta dados pessoais dos visitantes”. Isso tudo e muito mais você encontra aqui detalhado pelo próprio Google.

Entre todos os cookies do GA, aconselho você a prestar atenção a três deles neste momento: _utma, _utmb e _utmz.

No mesmo link que eu compartilhei acima tem o detalhamento de cada cookie, mas resumindo:

  • _utma: Coleta o número de visitas e de visitantes únicos. Se o usuário visita seu site, fica mais de 30 minutos inativo e depois volta a usá-lo, será contada uma segunda visita do mesmo usuário. O cookie _utma tem validade de dois anos e é gravado no navegador do usuário. Então se alguém visita seu site usando o Firefox e depois o Explorer, dois visitantes únicos serão contados.
  • _utmb: Conta o número de pageviews. Cada vez que um usuário visita uma página diferente em seu site, esse cookie é atualizado, continuando uma única sessão enquanto o usuário não ficar inativo por mais de 30 minutos ou fechar o navegador.
  • _utmz: Armazena a referência usada pelo visitante para alcançar seu site, que pode ter sido diretamente, por um link de referência, pesquisa em mecanismos de busca ou campanhas.

Com esses três cookies você vai conseguir verificar se a tag do GA foi instalada corretamente e se o relatório está gravando os dados corretos. Então vamos às dicas “pró” do @diogenespassos:

O HttpFox é mais usado para verificar eventos e número de tags sendo chamadas sem precisar procurar no código do site. Também usado por SEOs para verificar o header das páginas.

Mas é no Firebug com Firecookie que a mágica acontece! Com o plugin ativado, visite seu site e veja os cookies que o plugin exibe.

O _utmz, que armazena os sites de referência,  vai aparecer com um formato parecido com esse:

_utmz 154611182.1309287839.1.1.utmcsr=(direct) |utmccn=(direct)|utmcmd=(none)

Essa cadeia de números significa (fonte):

<identificação do domínio>.<timestamp da visita que o cookie foi gravado>.<quantas visitas o usuário fez>.<de quantas fontes diversas o visitante veio>.utmccn=<campaign>|utmcsr=<source>|
utmcmd=<medium>|utmctr=<keyword>

Verifique se o _utmz reflete a fonte pela qual você acessou o site. No caso do _utmz acima, o usuário acessou o site diretamente, digitando o endereço no navegador ou através de bookmarking.

 

O _utmb, cookie dos pageviews, vai parecer como esse a seguir:

_utmb    154611182.5.10.1309287830

 

Suas cadeias de números significam: <identificação do domínio>.<número de páginas vistas durante a sessão>.10. <timestamp da visita atual>

Se alguém souber o que significa o número 10 no _utmb deixe nos comentários que ganha um doce. :) Mas o que importa nesse cookie é a segunda cadeia de números, que mostra o número de páginas vistas durante a sessão.

Com o plugin ativado, visite outras páginas do site e verifique se esse número está sendo atualizado corretamente. Nesse caso, o _utmb indica que o usuário visualizou 5 páginas durante a mesma sessão.

 

E por último, o _utma – cookie de visitas – vai ter esse formato:

_utma          154611182.66286509.1309287830.1309287830.1309287830.3

Seus números significam: <identificação do domínio>.<id do visitante único>.<timestamp da primeira visita >.<timestamp da visita mais recente>.<timestamp da visita atual>.<número de visitas>

É o número de visitas, a última cadeia de números do _utma, que você vai verificar se está sendo atualizado corretamente. Por exemplo, você visitou o site, ficou 30 minutos inativo e voltou a ele depois. Uma nova visita deverá ser contada.

O _utma acima indica que o usuário está fazendo sua terceira visita ao site.

Os cookies _utma e _utmb são bastante úteis para verificar se a sessão entre dois subdomínios ou domínios diferentes que estão sendo unificados no mesmo relatório está sendo mantida. Por exemplo, você quer que www.dominio.com.br e blog.dominio.com.br sejam reportados no GA como um site único. Para isso, é necessário fazer algumas modificações nas tags. Com o firebug ativado, visite o site e o blog. Se os cookies _utma e _utmb resetarem, as tags não estão corretas.

 

Então é isso. Como últimas recomendações para você que leu o post até aqui e está interessado em aprofundar seus conhecimentos em Google Analytics, aconselho a prestar o exame GAIQ (escrevi algumas dicas para a prova no meu blog), seguir o @diogenespassos no Twitter e fazer o curso dele quando tiver oportunidade. Ah, e pode me seguir também, que eu sempre tento compartilhar o que aprendo. 😉

Boas métricas e até o próximo post!



15 Comentários to “Fazendo debug de cookies e verificação de tags do Google Analytics”

  1. Renata Tibiriçá July 5, 2011 at 9:08 pm #

    Nossa, muito legal, Paula! Tirou altas dúvidas que eu tinha sobre esses benditos cookies! Continue com esses artigos de WA, adorei! =)

    Beijos,

  2. Paula Albocino July 6, 2011 at 10:44 am #

    Oi Rê! Que bom que gostou do post sobre os “benditos cookies” :)
    Obrigada pelo comentário!
    Beijos

  3. Diogenes Passos July 6, 2011 at 2:45 pm #

    Oi Paulinha! Sensacional o Post!

    Acho que é estranho pra todo mundo deparar-se com essa coisa de cookies fazendo toda a diferença em implementações – visto que a ideia inicial é que tudo é controlado server side… quando na verdade o ouro está no browser (client side), através dos benditos cookies.

    Esse post vai servir de consulta para todo mundo que começar a trabalhar com implementações mais complexas.. e se engana quem acredita que isso não será feito por muitos. Na verdade, cada vez mais clientes de pequeno e médio porte terão várias frentes de investimento online e sempre que essas fresntes encontrarem-se em domínios diferentes, costumizações de tags serão necessárias para uma correta medição. O que é quase exceção hoje tornar-se-á regra! :)

    E muito obrigado pelas recomendações! Eu verdadeiramente me impolgo em mostrar alguns dos limites que o GA pode alcançar.. sem esquecer de falar que WA é mto mais que GA!

    Keep tracking!
    Beijos,
    @diogenespassos

  4. Paula Albocino July 6, 2011 at 3:11 pm #

    Oi Diógenes,

    Eu que agradeço por tudo que tenho aprendido com você. :)

    Obrigada também pelo comentário!

    Beijos,

  5. Alline July 6, 2011 at 4:32 pm #

    Muito bom o post, adorei! Já estou seguindo ambos no twitter, e me preparando para a certificação.
    😀

    • Paula Albocino July 6, 2011 at 4:35 pm #

      Oi Alline,

      Fico feliz que tenha gostado :) Obrigada e bons estudos!

      Bjs,
      Paula

  6. Daniel Sayon July 6, 2011 at 7:55 pm #

    Parabéns Paula.

    Excelente post. Você conseguiu transformar informações complexas em um artigo fácil de entender e objetivo.

    Muito bom!

    • Paula Albocino July 6, 2011 at 7:59 pm #

      Yay, Daniel, obrigada! :)

    • Natalia Pereira December 27, 2011 at 11:08 am #

      Concordo plenamente! Parabéns!

  7. Marcelo de Souza July 11, 2011 at 2:01 pm #

    Paula

    Arruma a URL do seu twitter na ancora “me seguir”. Esta com .br na url do Twitter

  8. Diego Ponce July 14, 2011 at 5:42 pm #

    Olá Paula! Tudo bem?
    Muito bom o post, obrigado e parabéns pelas informações.

    Uma informação bastante relevante é que quando a fonte é de uma campanha do Google Adwords, o utmz fica diferente, ele não mostra a fonte, apenas a keyword no final do cookie e o gclid como utm, ficou mais ou menos assim:
    “120928906.1310675529.2.2.utmgclid=CL_Jvt_WgaoCFYsd2god1xaQyA|utmccn=(not set)|utmcmd=(not set)|utmctr=keyword”.
    Acredito que isso só acontesse se a conta do Adwords estiver vinculada a conta do GA.

    Abs!

  9. yooo sp July 26, 2011 at 1:32 pm #

    Se em vez de um doce eu ganhar um beijo, eu te falo o que significa o “10” do código

    =DDDDDDDD

  10. Samara Bitencourt July 11, 2012 at 2:23 pm #

    Ótimo artigo, Paula!
    Foi muito útil pra mim no meu trabalho.
    Parabéns pela escrita com explicações simples e claras!
    =)

  11. Adriano Alves December 29, 2012 at 1:25 pm #

    Oi Paula, tudo bom?

    eu uso o Google Analytics e derepente ele parou de funcionar corretamente, não sei porque.
    As estatísticas estão zeradas, assim como o acompanhamento em Tempo Real, na verdade ele até mostra alguns números muito diferentes da realidade.
    O Tempo Real fica praticamente zerado o dia todo e em determinados momentos mostra 1 visita ou no máximo 4, mas quando isso acontece meu contador do Blog esta em 25, 30 visitas.

    Já exclui o código de acompanhamento e inseri novamente, criei um usuário diferente com permissão de administrador e loguei com ele para ver se tinha algo a ver com o usuário e também não deu certo.

    Você teria alguma dica do que mais posso estar tentando verificar?

    Obrigado.

Deixe um comentário