Orkut x Facebook: E a saga continua…

27 May

No mês passado eu estava em um dia normal de trabalho quando entrei no twitter e vi milhares de pessoas falando sobre o Orkut e o Facebook. Fiquei sem entender nada e fui conferir de perto do que se tratava e eis que uma notícia se espalhava: O Facebook tinha ultrapassado o Orkut. Isso gerou um verdadeiro “bafafá” nas redes até que se esclarecesse a situação.

Como explicou o TechTudo, o Alexa mede o tráfego e não o número de usuários únicos, e os dados demonstrados pelo site foram conflitados com os dados da empresa de pesquisa comScore, que afirmou que o Orkut ainda ganha tanto em tráfego quanto em número de visitantes. Além disso, o Orkut possui dois domínios, o que ajudou ainda mais a gerar a discrepância nos resultados da pesquisa. Bom, confusa esclarecida: o Facebook ainda não ultrapassou o Orkut.

Gráfico: Google Discovery

Tudo isso nos leva a continuidade da saga Orkut x Facebook, que ainda será muito comentada web afora. Mas, será mesmo que é preciso ficar insistindo e colocando as duas redes sociais no ringue para ver quem ganha? Será que o sucesso de uma é o fracasso da outra? Claro, que na visão dos CEOs destas duas empresas elas são concorrentes e sabemos de todo o esforço empregado pelo Facebook para ultrapassar o Orkut aqui no Brasil. Mas, como as empresas devem lidar com esta situação enquanto não temos o final desta história? Como levar o melhor de cada rede para as estratégias de mídias sociais das empresas?

Não podemos negar a importância do Orkut para a Internet. Ele foi um fenômeno que arrastou milhões de brasileiros para a frente do computador e mudou a maneira de muita gente utilizar a Internet desde seu lançamento no Brasil em 2004. É fato que o Orkut continua sendo uma mídia de sucesso, apesar de estar estacionada e de muitas pessoas, que antes estavam apenas no Orkut, terem criado suas contas no Facebook. Além disso, hoje há inúmeras redes sociais e a informação circula em uma velocidade muito maior, o que faz com que as pessoas tenham que dividir seu tempo entre muitas opções, o que nos leva então à queda da peridiocidade com que as pessoas acessam o Orkut. Se antes elas usavam apenas o Orkut e o MSN quando estavam na Internet, hoje elas possuem uma conta no Facebook e no Twitter, por exemplo, e entram em diversos blogs de seu interesse. Haja tempo para tudo isso, não é?

Esta queda na peridiocidade com que os usuários do Orkut entram na rede social, acabou levando consequentemente a uma queda do volume de interações nas comunidades e com isso muitas empresas e agências ficaram desmotivadas a gerarem algum tipo de ação e envolvimento maior nesta rede. Ainda, a facilidade de se criar ações no Facebook e estratégias mirabolantes é muito maior e nisto a rede de Zuckerberg sai na frente disparado. Mas, não podemos deixar os usuários do Orkut abandonados, é preciso criar relacionamento com essas pessoas.

Existem muitos nichos de comunidades no Orkut com grande interação ainda, como universo feminino, tecnologia, entretenimento, automobilismo, dentre outros. É preciso fazer uma pesquisa a fundo no Orkut para indentificar o público da sua empresa e então começar a se relacionar com ele. Há ainda grandes oportunidades de ações e relacionamento na rede, é só saber explorar e usar a criatividade, por mais que a rede ainda não ofereça grandes ferramentas para as empresas. O Orkut começa também a dar alguns passos para aumentar a interação com os usuários, como as comunidades patrocinadas e a transmissão de conteúdo ao vivo com integração com outra redes sociais, que apesar de hoje exigir um grande investimento por parte das empresas são uma maneira interessante de se relacionar com o público da rede. Ah, não poderia deixar de ressaltar a importância dos Social Games no Orkut como oportunidade de grandes campanhas na rede por parte das empresas. (Isso será um assunto para ser destrinchado em um próximo post rs)

Já o Facebook, sei que não há muito o que dizer sobre ele em relação a criação de campanhas e estratégias de social media na rede. A rede não é queridinha das agências e empresas à toa não! Ela permite uma grande quantidade de possiblidades e criação de campanhas, de interação com o público e até de vendas dentro da rede social. E, a cada dia, Mark Zuckerberg e toda a sua equipe vem trabalhando para melhorar e criar inovações para a rede. Ainda veremos grandes ideias surgindo dentro da rede e possibilidade de uso das empresas.

A minha ideia com este post não foi nem entrar no mérito, vantagens e desvantagens de cada rede social, foi apenas relembrar que há espaço e público para as duas redes e que as empresas não podem esquecer disto e tomar partido nesta história entre o Orkut x Facebook. O profissional de social media precisa entender cada rede e usar cada uma de acordo com o público da empresa, objetivos e estratégias a serem traçadas para cada cliente e ações. Há espaço para as duas redes crescerem no Brasil, cada uma com uma proposta, público e resultado diferente. É preciso então saber aproveitar o poder dos usuário dentro de cada rede social!

Se tiverem dicas, opiniões e experiências neste assunto compartilhe com a gente ;D

 



10 Comentários to “Orkut x Facebook: E a saga continua…”

  1. Anna Raquel Serra May 27, 2011 at 11:39 am #

    O mais importante é entender onde o público que você quer impactar está. Não adianta fazer uma ação boladíssima no Facebook se o seu público é adolescentes do Norte/Nordeste.

    O problema é que muitas vezes os organizadores das ações pensam no próprio umbigo (“Ah, eu não entro no Orkut faz meses, ninguém mais usa isso!”) e esquecem que o comportamento dele e das pessoas a volta dele não necessariamente equivale ao comportamento dos outros usuários.

    Antes eu pensava que isso era algo super óbvio, mas infelizmente o planejamento (de campanhas, sites, software, etc) acaba sendo mais baseado em achismos e no famigerado “bom senso” do que em pesquisas e números.

    • Mariana Rodrigues May 29, 2011 at 11:15 pm #

      É verdade Anna.
      Realmente muitos planners esquecem do universo ao seu redor e partem do princípio, empírico, de que ninguém mais usa Orkut ou alguma outra rede em questão.
      É preciso sempre pensar no público de cada ação.

      Abraços!

  2. Pablo Augusto May 27, 2011 at 2:52 pm #

    Anna Raquel, você está certíssima.

    O que vale é o publico alvo, tenho alguns amigos que trabalham com Mkt Digital em uma grande varejista de calçados. Ações no Facebook não rendem 5% das conversões que são originadas através das ações implementadas no Orkut.

    Não existe a rede perfeita e sim a rede na qual seu publico alvo se encontra.

    A maioria das pessoas que trabalham com tecnologia não gostam do Orkut, por isso “inventam” que ele está em desuso sem base em dados, apenas por elas não usarem mais, acreditam que ninguém mais usa.

    Eu falo sempre, quem trabalha com tecnologia não é parâmetro para qualquer teste de tendência ou usabilidade, nossa realidade é totalmente diferente, não servimos como parâmetro para qualquer comparação.

    • Mariana Rodrigues May 29, 2011 at 11:16 pm #

      Com certeza Fábio. Também concordo que quem trabalha com tecnologia não pode ser parâmetro para teste de tendência, planejamento de ações.
      É preciso pensar no público da marca sempre.

  3. Heberth Sérgio May 28, 2011 at 1:53 am #

    Vale a pena ressaltar que em cada ponta dessa corda existe um usuário, entâo vamos considerar que se o Orkut está da maneira que está é devido ao fato de muitos usuário a utilizarem de maneira a ser uma grande perda de tempo.

  4. Marcelo_thomaz May 29, 2011 at 12:33 am #

    Eu achei errada a divulgação em larga escala de que o Facebook tinha ultrapassado o Orkut.

    Talvez tenha com o publico alvo especializado.

    Afinal quantas pessoas você conhece que usam aquela barra desfuncional do Alexa?

    Quanto ao resto acho que já foi comentado. Devemos ATACAR onde está nosso publico alvo.

    • Mariana Rodrigues May 29, 2011 at 11:19 pm #

      É sim. A pesquisa não foi embasada e com a divulgação da notícia acabou que ela se espalhou pela web de forma bem rápida.

      Mas, como disse, o que importa mesmo é o público-alvo!

      Abraços!

      • Rogério Frigeri June 2, 2011 at 8:17 pm #

        Mas com certeza a notícia deve ter cumprido a missão para qual foi criada… criar “bafafá”.

  5. Welington Veiga May 30, 2011 at 2:49 pm #

    Assino em baixo.
    Realmente eu já vi muita gente cair nessa armadilha ‘alguém usa isso?’, quando na verdade a pergunta deve ser ‘quem usa isso?’, às vezes é pouca gente mas é quem você quer que atingir, então o lugar é esse, certo?

    ótimo texto.

  6. Bruno C Simomura June 7, 2011 at 3:31 pm #

    O lado social é muito presente em ambos os serviços. É claro que isso é de se esperar já que estamos falando em redes sociais com um duelo de gigantes entre sí.

    Jogos, aplicativos, sistemas de migração, tudo isso é interessante, as pessoas começam agora a “curtir” em ambos os serviços e cada vez mais parte do que é “interessante” passa a se tornar integrante em ambos as redes.

    Quem ganha com isso é o usuário, que cada vez mais têm serviços modelados de acordo com as expectativas.

    Postagem interessante, obrigado por compartilhar.

    Bruno | GD

Deixe um comentário