Facebook: Qual a sua estratégia de conteúdo?

9 May


por

Depois de perguntar se você diferencia conteúdo nas mídias sociais, resolvi continuar escrevendo sobre o tema.

E, partindo da ideia de que crítica por crítica é ok, mas bom mesmo é a solução, resolvi trazer, como exemplo, possíveis estratégias de conteúdo para as mídias sociais, mas especificamente, para o Facebook.

Em tempo: Eu curto muito o que eu faço, mas tenho um encantamento bobo pela gestão de conteúdo. Hoje estou planejamento, mas sempre trabalhei muito na base, e não falo só do digital. Cada dia mais vejo gente fazendo gestão de conteúdo de forma automática. Triste. Um job de conteúdo é bom quando ele vira uma cachaça, sabe? Quando assumimos aquele perfil ou página como uma coisa nossa. E quando isso acontece, é que vem a graça da coisa.

 

Too much information

 

Não duvido nada que eu encontre por aí, em um futuro bem próximo, uma matéria de capa sobre “mentes apertadas x quantidade de informação”. E na internet, isso se resume à guerra. Guerra de informação.

Antigamente, até conseguíamos administrar informações no Orkut. Era bem simples, até. O maior fluxo era nas comunidades, mas só tínhamos acesso aquela informação quando íamos atrás dela. Daí chegou o Facebook e o seu Feed de Notícias. Fim. Dude, we are lost.

Eu sempre vi o Facebook como um grande desafio. Não só de possibilidades, mas de administração de conteúdo. Ao contrário do Twitter, onde conseguimos selecionar e filtrar o conteúdo de maneira mais simples, o Facebook é uma selva de atualizações. E sabe de uma coisa, marca? Você está nesse meio. Welcome to the jungle.

 

Houston, we have a problem!

 

Há um tempinho atrás, o Leo Araujo falou uma coisa bem curiosa no Twitter.

No Facebook eu não sigo uma marca, eu curto, entende? Eu não estou ali apenas para seguir atualizações, mas também para assumir uma preferência. Porém, a cada segundo eu sou atingido por diversas informações, logo, preciso selecionar. Certo? Certo.

E é aí que a gente entra, na questão da seleção. Em curtas palavras: Se você é uma marca, você precisa ser a marca que o cara não vai bloquear as atualizações.

 

Hello, customers. Look at me.

 

Estou escrevendo minha monografia sobre posicionamento estratégico de marcas no ambiente Facebook. Mais especificamente, sobre a página da Disney.

Durante o processo de análise, comecei a pensar nas estratégias que algumas marcas utilizam a partir do conteúdo compartilhado no mural.

Já foi comprovado e assinado em cartório que as pessoas não retornam às páginas depois de clicar no botão ¨curtir¨. Significa? Significa que o seu contato com essas pessoas, dentre outras estratégias, será através do Feed de Notícias.

E é nesse mesmo Feed de Notícias que você, marca, vai competir com lol cats, vídeos de bebês conversando em uma linguagem criptografada para o resto da humanidade, fotos de casamento, formatura, aniversários ou simplesmente o que as pessoas estão pensando. E, sabe, marcas, somos stalkers por natureza, na maioria das vezes somos bem mais interessantes que vocês.

O Feed de Notícias do Facebook é um espaço de competição entre a marca e os seus amigos.  É uma sala com pessoas chamando a sua atenção. Pra quem você olha?

 

O conceito de estratégia, em grego, strateegia, em latim, strategi, em francês, stratégie… Os senhores estão anotando?

 

Para entrar nessa guerra de informação, é preciso entender, antes de tudo, o que o público dessa marca curte, o que ele quer. É preciso entender o que ele compartilha.

E a primeira pergunta, ainda que a mais básica de todas, continua sendo: Qual o objetivo?

Ao entrar no Facebook, a marca precisa pensar de maneira inteligente. Ela precisa definir seu posicionamento, ela precisa saber por que criou aquela página.

E é muito legal ver como algumas marcas já conseguiram responder essas perguntas, entender qual é a delas ali naquele espaço.

Para identificar (e ilustrar) melhor essas estratégias, resolvi trazer algumas páginas que acho interessante. Algumas estratégias são bem básicas, mas geram retorno. Outras, necessitam de maior engajamento.

Tudo nos sites de redes sociais diz respeito a relacionamento, essas marcas tiveram um começo, crie o seu da maneira certa.

 

Levi’s | Perguntas

Sempre que aparece alguma atualização com pergunta no meu Feed de Notícias, eu paro para olhar. Sabe, é como se alguém tivesse me chamado, solicitado a minha resposta. Claro que não vamos transformar o mural da marca em um questionário, existe um público certo, para uma pergunta certa, feita através de uma abordagem certa.

Gosto muito do exemplo da Levi’s, não só pela utilização de perguntas, mas pelo conteúdo.

Up: Já fiz alguns testes com conteúdos similares, algumas vezes utilizando interrogação no final. As perguntas sempre ganhavam em comentários.

 

Domino’s Pizza, Red Bull e Taco Bell | Diversão

Sabe toda aquela conversa de inserção das marcas nas mídias sociais? Os três exemplos mostram muito bem a ideia de entrar em um ambiente que, teoricamente não seria de marcas, e fazer parte da conversação como qualquer um de seus amigos. Com vídeos divertidos, montagens engraçadas, gravações divertidas e saudade da sexta-feira.

Simples e eficiente.

 

Oreo |  Novas apropriações do produto

Brincar com os produtos não é uma exclusividade da Oreo, mas é uma ótima estratégia para chamar a atenção. Brincar com o produto e transformá-lo em objetos divertidos. É isso que fazemos em casa, é isso o que fazemos com os nosso amigos.

 

Disney | Referência

Quando entrei na página da Disney pela primeira vez, fiquei tão empolgada que passei horas vendo as atualizações. Depois de um tempo, decidi que seria o case do meu TCC. Sempre achei curioso como uma página sobre uma marca despertou tanta curiosidade em mim. E é simples entender, a Disney sabe muito bem qual é o seu posicionamento, e ela joga muito bem com isso. Uma marca que sabe para onde vai, que conhece o seu público.

A Disney brinca com referências. Sua essência é feita de referências. E qual a melhor forma de aproveitar isso?

Frames, frases, diálogos, rascunhos, desenhos, objetos, tudo o que me faça lembrar de momentos da infância, dos mais velhos aos mais novos.

 

Skittles | Originalidade

Do nada você recebe uma atualização com ¨Pugs are the original gangsters¨ e a primeira coisa que a gente pensa é oi?. Com originalidade e utilizando uma estratégia que bate muito bem com a identidade da marca, a Skittles conseguiu se tornar referência no Facebook.

 

Jack Daniel’s | História de marca

Já vi diversas marcas contando histórias no Facebook. A Jack Daniel’s fez uma espécie de história em pequenos capítulos, cada dia um pedaço ou alguma curiosidade sobre o Mr. Jack.

 

Conclusão

 

É impossível listar todas as estratégias e marcas em um só post. E é claro que estou me referindo a estratégias voltadas para o conteúdo, existem muitas outras tão interessantes quanto. Como eu disse antes, o Facebook é um grande desafio.

As marcas podem continuar compartilhando matérias e posts de sites/blogs, assim como informações serviços e produtos. Não existe um manual, quem define o posicionamento da marca é a própria marca. A diferença é como esse conteúdo é apresentado para o consumidor. Entende? :)

E você, utiliza alguma estratégia de conteúdo nas mídias sociais? Compartilhe nos comentários.

Pri Muniz



47 Comentários to “Facebook: Qual a sua estratégia de conteúdo?”

  1. Rodrigo May 9, 2011 at 3:56 pm #

    Pri, muito bacana seu post! Concordo com você em tudo que falou! Não é interessante criar uma fan-page simplesmente porque seus concorrentes tem e outras empresas criaram. Como você disse, o interessante é saber do que seu público gosta.

    Parabéns pelo post. Muito agregador!

  2. Gutenberg Almeida May 9, 2011 at 3:56 pm #

    Excelente post!!!! Sucesso com o TCC.

  3. @GlebeDuarte May 9, 2011 at 4:00 pm #

    Olá Pri, realmente seu texto ficou excelente, reflete bem o meu pensamento sobre o assunto. Não tenho neste momento nada a acrescentar, mas assim que tiver o farei por aqui. Muito bom. Parabéns pelo trabalho.

  4. @samuelmcosta May 9, 2011 at 4:30 pm #

    Olá Pri.. Excelente post!! Tema interessantíssimo e que foi abordado de uma forma muito agradável de se ler.. assim como todos que encontro por aqui!! Parabéns !!

  5. Paula Albocino May 9, 2011 at 4:46 pm #

    Ótimo post de novo, Pri!
    Parabéns!

  6. Cris Alves May 9, 2011 at 4:53 pm #

    Adorei o post!
    Virei fã do blog…

    Sucesso com o TCCbis

    😉

  7. Júnior Siri May 9, 2011 at 5:02 pm #

    Adoro seus posts! Parabéns!

  8. Leonardo Araujo May 9, 2011 at 5:55 pm #

    Oi, Pri. Imaginei que fosse este o tweet. :)
    Sabe, sempre que curto uma página, constumo ver qual o conteúdo que esta empresa/marca publica no Fb. É daí que vem o meu corte, a seleção. O complicado no Fb é distinguir o pessoal (amigos) do profissional (empresas e marcas). A home é muito confusa e mistura tudo. Este é um dos motivos que me levam a limar algumas marcas depois de curti-las por aí. No entanto, existem marcas lá em minha home. Tenho Zupi, SyFy, Ferrari, Nike Futebol, Heineken, Sony, blog diversos, revistas, sites de notícias, etc. Isso tudo lá, brigando com meus amigos, na home. E só estão lá pq tem conteúdo relevante pra mim, coisas bacanas e diferenciadas, que me chamam a atenção. Uma empresa/marca não basta estar no Fb, tem que saber fazer do Fb um verdadeiro canal direto com seu público. É a mala direta 3.0, a evolução da mala direta tradicional e do email mkt.
    Obrigado pela citação. Beijo!

  9. Mari Boaretto May 10, 2011 at 9:41 am #

    Oi Pri!
    Adorei seu post e acho que estou no caminho certo… Estou cuidando do Facebook da Comissão de Formatura que faço parte e tento publicar não somente coisas referentes à festa ou promoções, mas músicas, baladas, bebidas, coisas que tenham a ver com essa galera de faculdade. Acho que eu estou no caminho certo, mas ainda falta muito para alcançar meus objetivos. rs
    Meu TCC é sobre o uso das mídias sociais pelas empresas e estou usando o case da Tecnisa… seria legal um dia você postar algo sobre o seu tcc, achei bem interessante e adoro o jeito que você escreve.

    Beijos :)

    • Pri Muniz May 10, 2011 at 11:03 am #

      Obrigada, Mari! Seria uma sim, vou pensar nisso. :)

  10. Renata Tibiriçá May 10, 2011 at 10:56 am #

    Muito bom, como sempre, né Pri?! =D
    Adorei ver os cases que vc postou, muitos eu não conhecia!

    Beeeijos! ^^

    • Pri Muniz May 10, 2011 at 11:03 am #

      Eu tenho um monte! Mas daí era quase um livro hahahah Que bom que gostou 😀

  11. Nilton Lara May 10, 2011 at 11:19 am #

    Adorei seu texto, as vezes chego a ficar várias horas pesquisando nas fanpages exemplos de campanhas que sejam diferenciadas e ao mesmo tempo que se identifiquem instantaneamente com a marca ou a filosofia que quer divulgar.
    Alguns são mestres nisso e voce mostrou bons exemplos disso.
    Parabéns

    Sucesso

  12. Vinicius Castro May 10, 2011 at 11:49 am #

    Gostei do tema, gostei do conteúdo do post, gostei dos exemplos e gostei da forma que você escreveu.

    Parabéns !

  13. Bruno Torres May 10, 2011 at 11:51 am #

    Legais os exemplos, mas sao todos marcas “offline”, bem conhecidas e bem aceitas pelo publico. É mais, digamos, facil fazer esse tipo de coisa com esse tipo de marca e produto.
    E as marcas exclusivamente online? E aquelas marcas que precisam passar por cima de alguma percepção negativa do usuário? E marcas novas, produtos menos interessantes? Quais as estrategias para esses caras?

    • Pri Muniz May 10, 2011 at 1:22 pm #

      Oi, Bruno!

      Primeiramente, tive o cuidado de apagar quantidades de likes e comentários, não era essa a discussão, mas sim a qualidade do conteúdo e estratégia utilizada.

      Não acho que seja mais fácil fazer esse tipo de estratégia por serem marcas conhecidas offline, existem coisas bem simples como as perguntas, por exemplo. Não existe dificuldade. O que é mais fácil, na verdade, é ter engajamento e retorno com as marcas mais conhecidas, isso é um fato. Mas, como eu disse, tudo no Facebook é um desafio. Já vi marcas não muito conhecidas que viraram case por causa de uma estratégia bem feita. Gestão nas mídias sociais é um desafio, é para marcas de serviços de telefonia, por causa da imagem negativa, como também é para marcas desconhecidas e de nicho específico. Já me inspirei muito em posts assim. A gestão de conteúdo desgasta, é difícil ser brilhante, ser ótimo, sabe. E pensar coisas diferente e formas de relacionamento faz parte desse trabalho. Acredito que nada deve ser feito de forma automática, padronizada, cada sabe com quem se comunica… e como eu disse, nada escrito aí é regra, mas pode ajudar a gente a abrir a cabeça.

      Gostei do seu comentário.

      Obrigada :)

  14. Bruno Torres May 10, 2011 at 1:46 pm #

    Pri, faz todo sentido. Mas o ponto é: por que não mostrar então esse case de marca desconhecida? Esse eu gostaria de ver, esse se conectaria melhor com o mundo da maioria das pessoas, porque a maioria das pessoas nao tem a conta de uma redbull ou de uma disney.

    • Pri Muniz May 10, 2011 at 3:40 pm #

      Entendo o que você fala :) Posso até trazer esses exemplos, mas o que eu quis mostrar aqui são exemplos interessantes, possíveis de gerar bons resultados. Infelizmente não encontro isso (pensando em conteúdo, não se esqueça) em outras marcas. E eu digo pra você, não encontrei bons exemplos de estratégia de conteúdo em marcas muito mais famosas que essas. Podemos falar que uma fan page pode ser do caralho e tem mil programações, mas aqui falo de conteúdo. E isso, teoricamente, é de graça. :)

      O legal das mídias sociais é isso, nenhuma marca para estar lá, é tudo horizontal. O que fazemos com ela que é a diferença.

  15. Mauricio Zane May 10, 2011 at 3:55 pm #

    Muito bom o post.
    Em relação ao comentário do Bruno: Isso é um grande problema em eventos que a gente vai e ta la os caras da agencia foda de publicidade com um puta case ke fizeram para uma baita marca, na hora de você aplicar na sua fanpage com meia dúzia de fans a coisa muda.
    Mas o que a autora do post colocou é certo, ideias de estratégia de conteúdos são fáceis e de graça para serem aplicadas. Os exemplos foram muito bons e todos podem ser adotados para marcas menores. Pelo menos eu consegui enxergar. Óbvio que o resultado vai se dar na proporção da sua comunidade.

    • Pri Muniz May 10, 2011 at 4:07 pm #

      Exatamente, Mauricio. A diferença que temos aí é a proporção. Inclusive, apaguei das atualizações ¨likes¨ e ¨comentários, justamente para não gerar comparações entre as estratégias. :)

      Obrigada pelo comentário.

    • Bruno Torres May 10, 2011 at 4:11 pm #

      Sim, Zane, não estou dizendo que o post não é válido. Acho os exemplos interessantes e tem sim o que tirar de idéia daí. Só que precisamos discutir sobre esse tipo de coisa, porque senão daqui a pouco temos gente sem a menor base cuspindo que redbull isso, que levi’s aquilo e depois se frustrando que não funcionou mas seguiu o que estavam fazendo no mercado, etc.
      Está claro pra mim, tanto pelo post quanto pela argumentação que a Priscila está bem ligada nisso tudo e sabe o que está falando. Minha preocupação é o quanto isso está claro para os menos experientes e os deslumbrados sem olho crítico.

      • Pri Muniz May 10, 2011 at 4:21 pm #

        Com certeza, Bruno! Até joguei um tweet falando da discussão, acredito que a grande coisa de posts são os espaços de conversação. E aprendo muito nos comentários.

        Tentei falar isso no texto, inclusive lembrando que ¨Não existe um manual, quem define o posicionamento da marca é a própria marca.¨. Também tentei passar a mensagem de que essas estratégias não são tudo. Do lado de cá, vamos torcendo. Sempre respondo pessoas, tiro dúvidas, tento mostrar o outro lado. Informação tá aí para ser compartilhada, bom senso é o que já vem com a gente.

        E tudo é válido, né não? :)

  16. Rafael Cavalcanti May 10, 2011 at 6:04 pm #

    Olá Pri, perfeita a sua colocação.

    Depois de ter percebido que a página de álbuns dos sushis dos categoriados por restaurante pulou em quantidade de visualizações no meu blog (www.sushiblog.com.br) percebi que o conteúdo que eu deveria explorar no facebook era exatamente esse, imagens. O motivo é simples, na culinária oriental, no meu caso, comida japonesa, a decoração dos pratos faz parte da cultura e encanta quem vê. O resultado me impressionou, em breve a quantidade de curtidas da fun page vai ultrapasar a quantidade de seguidores do twitter do blog @sushi_blog.

    Abraços. Sucesso!

    • Rafael Cavalcanti May 10, 2011 at 6:05 pm #

      *Depois de ter percebido que a página de álbuns dos sushis categorizados…

    • Pri Muniz May 11, 2011 at 11:13 am #

      Que bom, Rafael! Trabalho na PaperCliQ, falei que gostei do seu comentário e Danila Dourado me disse que você fez o curso de “Gestão Avançada em Mídias Sociais” de Recife! Lega! A página do blog está ótima, parabéns! :)

      • Rafael Cavalcanti May 11, 2011 at 11:33 am #

        Que legal, curto muito o trabalho de vocês ai na Paper, sempre que vocÊs vierem ministrar curso por aqui estarei presente com certeza :)

        Sobre a fun page do blog, obrigado pelo elogio, como estou um pouco sem tempo, ainda não deu pra dá uma incrementada, como tenho uma equipe que desenvolve aplicativos pra facebook, vou até pedir pra eles desenvolverem algum desses pra minha fun page…no momento que houver atualização passo aqui pra divulgar. Abraços!

        Meu contato: @rafahenr

  17. Alessandra Costa May 11, 2011 at 10:40 am #

    O post está excelente. Tanto o texto que está leve, agradável de se ler, como o conteúdo. Trabalho para uma empresa de eventos e estou estudando como colocá-la no Face e que tipo de conteúdo postar e o pots contribuiu muito. Parabéns!

    • Pri Muniz May 11, 2011 at 6:35 pm #

      Fico feliz que tenha ajudado, Alessandra. :)

  18. Felipe May 11, 2011 at 12:36 pm #

    Gênial! Curti muito as dicas e como poder comunicar através da FanPage e engajar os usuários no FB. Desde o ano passado venho trabalhando com o Facebook, para promover campanhas, promoções e outras ações… Coloquei um post sobre alguns cases que fiz com fanpage, ficaria muito grato em saber um feedback sobre como poder melhorar minhas atividades :)
    Parabens pelo post!

    • Rafael Cavalcanti May 11, 2011 at 3:28 pm #

      Qual a fun page que vocÊ gerencia ?

      • Pri Muniz May 11, 2011 at 6:38 pm #

        Oi, Rafael!

        Atualmente trabalho com Planejamento, não estou mais fazendo a gestão. Planejo e oriento, somente. Porém, já administrei algumas páginas em trabalhos antigos.

        Abs,

        :)

  19. Monica Pettersen May 25, 2011 at 8:11 pm #

    Olá… Acredito que independente do tamanho da empresa, a visao de onde quer chegar é a mesma.. Acho inclusive que quanto maior a empresa, mais dificil seja, por ter uma visibilidade maior, as pessoas já tem algo em mente, uma expectativa, que pode nao ser correspondida…

    Adorei o blog e todo o conteudo..
    Entrando no marketing digital… =)

  20. Tiago Cordeiro July 1, 2011 at 7:11 pm #

    Oi, Priscila

    Excelente artigo. Trabalho com redes sociais e queria muito ler sua monografia quando estiver pronta.

    Abs.

  21. Leonardo Barra September 3, 2011 at 3:02 pm #

    Ótimo post, Pri. Parabéns! Creio que a grande questão é não ser bitolado e querer “colocar o quadrado no triângulo”, como naquela imagem clássica de um teste de Q.I. (bola, quadrado, triângulo…).

    Ao administrarmos nossa comunicação ou (principalmente) a de alguém, devemos, no mínimo, conhecermos o nosso quintal. O que acontecerá nele, já são outros 500… e esse é a graça de trabalhar com redes sociais.

    abraços

    Léo

  22. Mariel Maffessoni Ramos December 6, 2011 at 11:53 pm #

    Olá Pri,

    Parabéns pelo seu post, deu pra tirar boas dicas!

    Já ouvi muita teoria, mas a prática e o passo-a-passo como você deu aqui, na minha opinião é bem mais relevante.

    Eu trabalho para o governo aqui de sc e gerencio o perfil de facebook da secretaria de estado do desenvolvimento econômico sustentável. Como é uma página de governo, eu sempre tenho alguns entraves. O conteúdo produzido é pré-definido pelos “eventos” da secretaria, e eu utilizo as redes para a disseminação deste conteúdo. Eu não tenho liberdade para uma linguagem mais casual, para gerar outros conteúdos, e não há atrativos como promoções e etc…

    Já trabalhei com outros perfis, como empresas em redes sociais e acho mais fácil criar uma interação.

    O que, na sua opinião, eu poderia mudar na estratégia para criar mais engajamento e atrair a atenção do público. Tem algum case de página governamental que tenha dado bons resultados?

    Grata.

  23. Caio César April 11, 2012 at 10:56 pm #

    Boa noite, Pri
    Lí seu artigo (parte dele) e achei bem interessante.
    Sou gestor de uma agência de turismo em SP e estou enfrentando uma certa dificuldade pelo seguinte:
    Estamos há 7 anos no mercado e, neste tempo, conquistamos uma certa carteira de clientes. Porém, até o momento, só temos clientes agências de turismo, pois nosso negócio é essencialmente B2B.
    Entretanto, estamos percebendo uma mudança no mercado que nos força a mudar as estratégias para sobreviver e isso consiste atualmente, em entrarmos forte no facebook (que ao meu ver hoje é o melhor canal de dlvulgação dos produtos).
    Acontece que a empresa é de pequeno porte e não temos profissionais especializados em estratégias de mídias sociais, gerenciamento de conteúdo e tal.
    Pode nos ajudar ?
    Abs

  24. Guilherme August 16, 2012 at 10:41 am #

    Sem dúvida alguma, o ponto de vista mais claro, direto e eficiente que eu vi em assuntos relacionados.
    Até favoritei aqui para me lembrar dos exemplos na próxima vez que precisar repensar em estratégias, especialmente para este meio. :)

  25. Paulo April 20, 2013 at 6:03 pm #

    A estrategia do facebook SEO é simples: simplesmente indexa quase tudo para os buscadores, assim conseguindo um dos maiores pagehanks, ao contrario do orkut.. que não indexava nada do seu conteudo e morreu mais cedo..isso sim faz sentido para o sucesso de uma rede social cresce e aparece para os buscadores… a 1 ano atras costrui uma rede social chamada scrapscity..abri todo seu conteudo para Indexar..menos o perfil dos users, musicas albuns videos, resultado: 3 meses a rede tinha pagehank 3, infelismente por falta de verba fechei a rede..agora esta renascendo com o nome postscraps.com, indexando 5 mil notias por dia 30mil games e 20mil musicas..vamos ver no que da…

  26. jenner August 6, 2013 at 3:20 pm #

    Gostei muito do post, que achei por acaso. gostaria muito de saber a opiniao de voces sobre a minha fã-page https://www.facebook.com/pages/Virtualcart/1374500962776240 e sugestoes para ampliar o publico da pagina.

  27. Pedro Pereira January 15, 2014 at 7:11 am #

    Epá excelente artigo!

    Obrigado pela informação

Trackbacks and Pingbacks

  1. Facebook: Qual a sua estratégia de conteúdo? | SEO de Saia | ZiiPe - May 11, 2011

    […] Leia mais: Facebook: Qual a sua estratégia de conteúdo? | SEO de Saia […]

  2. SEO de Saia | Estratégia de conteúdo « Pri Muniz | Comunicação . Marketing Digital . Mídias Sociais - May 28, 2011

    […] Para ler o post, acesse: ¨Facebook: Qual a sua estratégia de conteúdo?¨. […]

  3. Conteúdo nas mídias sociais – Fan page vazia não para em pé « Michel Fonseca - January 19, 2012

    […] 19/01/2012 Deixe um comentário “(…) Eu não estou ali [no Facebook] apenas para seguir atualizações, mas também para assumir uma preferência.” Priscila Muniz, SEO de saia.  […]

  4. NBP Envios - August 14, 2014

    […] aqui, outras que não estão aqui, mas são tão interessantes quanto, colocar em prática uma boa estratégia de conteúdoacolá e […]

Deixe um comentário